tratamento

healthcare-professionalsNesta secção falaremos das opções de tratamento disponíveis para o cancro da mama, para tipos primário e secundário. Cada secção explica algo sobre o modo de tratamento, como a cirurgia, descrevendo os efeitos secundários mais comuns existentes.
 
Em relação aos efeitos secundários é importante relembrar que, nem todas as pessoas passam pelos mesmos efeitos, sendo quase impossível que todas sofram todos os efeitos secundários associados com os vários tratamentos. Poderá, entretanto, sofrer de efeitos que não estejam discriminados, sendo assim, é importante reportar os mesmos ao seu médico assistente.
 
Se estiver preocupada com qualquer dos tipos de tratamento ou qualquer dos efeitos secundários é importante comunicar as suas dúvidas ao seu médico. Este será capaz de oferecer apoio, informando-a sobre os efeitos secundários e quais os que poderão surgir.

O que perguntar ao médico?

1. Que tipo de cancro da mama tem? Com metástases, sensível aos estrogénios, HER2 positivo?

2. Que opções de tratamento existem, qual é o tratamento ideal nesse caso e quando deve começar e acabar?

3. Nos casos em que se justifica, pergunte, não fique sem compreender as opções entre a cirurgia radical e a cirurgia conservadora.

4. Se necessário, informe-se sobre as várias hipóteses e os vários tipos de cirurgia de reconstrução.

5. E depois da cirurgia? São necessários outros tratamentos como radioterapia, quimioterapia, terapia hormonal, fisioterapia? Porquê?
 
6. Posso ser tratado numa clínica especializada em cancro de mama, por uma equipa multidisciplinar que inclua um cirurgião especialista e depois ser seguida no hospital que me recomenda?

7. Quantas mulheres com cancro de mama são tratadas anualmente no hospital que me recomenda?
 

Foi-me diagnosticado um cancro de mama ontem. Mas tenho dúvidas e preocupações sobre o que o médico me disse. Devo ou posso pedir uma segunda opinião?
Deve e pode. Tem o direito de pedir através do Serviço Nacional de Saúde. O direito dos utentes do SNS de obterem uma segunda opinião sobre a sua situação de saúde aparece concretizado na Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes, elaborada pela Direcção Geral de Saúde. O ponto 7 diz: “O doente tem o direito de obter uma segunda opinião sobre a sua situação de saúde”, sendo que um tal direito se traduz “[…] na obtenção de parecer de um outro médico, permite ao doente complementar a informação sobre o seu estado de saúde, dando-lhe a possibilidade de decidir, de forma mais esclarecida, acerca do tratamento a prosseguir”.
 
O que é CA 15-3?
O CA 15-3 é um marcador tumoral mais específico para o cancro da mama, mas não é de um método de diagnóstico essencial para as portadoras da doença. É um método sensível mas pouco específico e não é utilizado em rastreio nem em diagnóstico pois habitualmente os exames de imagem (mamografia, ecografia e ressonância) descobrem o cancro antes que os valores do CA 15-3 se alterem.
No acompanhamento das doentes já tratadas com cancro da mama era habitualmente pedido na tentativa de descobrir metastização precoce do cancro, mas chegou-se à conclusão que também aqui não era mais fiável.

Um cancro da mama com metástases na pleura tem tratamento?
Um carcinoma metastático ao nível da membrana que reveste o pulmão(pleura) poderá, consoante a agressividade da doença, ter índices de resposta muito favoráveis com as actuais terapêuticas, quer hormonais, quer com quimioterapia ou, quando é possível com novas terapêuticas alvo. Em termos sintomáticos a presença de derrame(o vulgarmente chamado líquido no pulmão) pode provocar dispneia (falta de ar) e poder motivar algumas intervenções ao nível da prescrição de medicamentos diuréticos ou mesmo remoção do líquido(toracocentese).
 
Voltar
 
 
Aviso: A informação contida neste site é necessariamente de carácter geral e não constitui nem dispensa uma consulta médica apropriada.