quimioterapia

A quimioterapia funciona destruindo as células cancerígenas. Testes ou exames podem não detectar células cancerígenas em pequeno número, daí que o tratamento sistémico de quimioterapia seja feito havendo o risco da presença de células cancerígenas, mesmo que os testes para estas células dêem negativo.
 
chemoComo funciona a quimioterapia
 
As células cancerígenas crescem dividindo-se de uma forma descoordenada e descontrolada. A quimioterapia interfere com a sua capacidade de se dividirem e crescerem. Diferentes medicamentos de quimioterapia funcionam de modos diferentes e atacam as células cancerígenas em diferentes fases do seu crescimento, daí que se costume combinar o uso de diversos medicamentos.
 
Como a quimioterapia é usada
 
A quimioterapia é usada de diversas formas. Normalmente é usada como complemento à cirurgia ou radioterapia. A quimioterapia é geralmente dada como tratamento adjuvante, o que significa que é usada como tratamento adicional, normalmente após a cirurgia. Em alguns casos, a quimioterapia poderá ser neo-adjuvante; este termo significa que o tratamento de quimioterapia é feito antes da cirurgia.
 
A quimioterapia é normalmente feita após a cirurgia e antes da radioterapia. Geralmente começa entre três a quatro semanas após a cirurgia, de modo a que o corpo se possa recuperar dos efeitos da operação. Por vezes, a quimioterapia é feita antes da cirurgia, de modo a abrandar o crescimento de tumores que crescem rapidamente ou para diminuir o tamanho de tumores maiores.
 
A quimioterapia também pode ser utilizada para abrandar o crescimento de um cancro secundário (cancro que se espalhou do tumor original para outras partes do corpo) e para ajudar a aliviar a dor (cuidados paliativos).
Normalmente a quimioterapia é feita se forem encontradas células cancerígenas em gânglios linfáticos debaixo dos braços. Mesmo que não se tenham espalhado para os gânglios, a quimioterapia é feita se o tumor for de determinado tamanho (mais do que 2 cm) ou se as células cancerígenas se estiverem a dividir rapidamente, o que significa que há maior risco de se espalharem.
 
Benefícios da quimioterapia
 
Estudos têm demonstrado que a quimioterapia poderá ser benéfica para pessoas de qualquer idade. Os seus benefícios dependem: 
·         Do tipo de cancro da mama que se tenha
·         Do tamanho do tumor
·         Da fase do cancro (até que ponto alastrou)
·         Do grau do cancro (potencial para alastrar)
 
Os benefícios da quimioterapia são normalmente evidentes, no entanto se forem menos óbvios, poderá ser difícil decidir proceder-se ou não ao tratamento. Terá que pesar a possibilidade dos benefícios contra os potenciais efeitos secundários.
 
A sua decisão poderá ser influenciada por prioridades pessoais, a sua família e os seus compromissos laborais. É importante que discuta estes assuntos abertamente com o seu especialista de oncologia ou enfermeiro, que o/a ajudarão e apoiarão nas suas decisões.
 
Duração da quimioterapia
 
A quimioterapia para tratar o cancro da mama é normalmente feita em séries de tratamentos a cada três a quatro semanas, durante um período de quatro a seis meses. Isto, contudo, é variável dependendo do tipo e fase do cancro, da sua saúde e da combinação de medicamentos usada.
 
O intervalo entre cursos de tratamento permite ao seu corpo recuperar de alguns efeitos secundários de curta duração que possam ocorrer.
 
Os tratamentos são normalmente feitos em regime ambulatório, de modo a que o/a paciente possa ir para casa no mesmo dia. Nos dias de tratamento, o normal será ficar no hospital a maior parte do dia, contando com os tempos de espera e tratamento. Em alguns tipos de quimioterapia, poderá ter de ficar internado/a para receber o seu primeiro tratamento, passando a noite no hospital.

Quimioterapia e saúde sexual 

Poderá sentir menos interesse em ter relações sexuais durante a quimioterapia e há várias razões para que isto aconteça. Poderá estar ansioso/a acerca do seu diagnóstico e tratamento ou estar a sentir efeitos secundários tais como náuseas ou vómitos. Pode, simplesmente, sentir-se cansado/a. Todas as pessoas reagem de formas diferentes mas estes problemas são normalmente temporários. Ler o artigo completo (pdf) 

CMF

A quimioterapia CMF tem este nome devido às três substâncias usadas no tratamento: ciclofosfamida, metotrexato e 5 fluororacilo (também conhecido como 5FU). Ler o artigo completo (pdf)

FEC

A quimioterapia FEC tem este nome devido aos medicamentos usados durante o tratamento: 5 fluororacil (também conhecido como 5FU), epirubicina e ciclofosfamida.
Ser-lhe-á feita a quimioterapia FEC se tiverem sido encontradas células cancerígenas nos nódulos linfáticos das axilas do lado da mama doente. Ler o artigo completo (pdf)

Como a quimioterapia é administrada
 
A quimioterapia pode ser administrada de diferentes formas. Para o cancro da mama, os medicamentos são normalmente administrados:
·         Pela veia (por via intravenosa) em gotas ou injecção, preferencialmente numa veia do braço
·         Pela boca (por via oral) em comprimidos ou cápsulas
Ler o artigo completo (pdf)

Os seus sentimentos durante a quimioterapia 

Dizerem-lhe que a quimioterapia fará parte do seu tratamento, poderá fazer aflorar diversas emoções. Muitas pessoas sentem-se positivas e confiantes de que tudo o possível está a ser feito por elas, enquanto outras poderão sentir-se ansiosas ou assustadas. Isto pode acontecer porque, erradamente, muitas pessoas pensam que a quimioterapia só é usada quando o cancro alastrou e é de carácter mais grave. Ler o artigo completo (pdf) 

Efeitos Secundários

Os medicamentos de quimioterapia actuam destruindo as células cancerígenas, que se dividem rapidamente. As células normais também se dividem e crescem constantemente, por isso também podem ser afectadas, o que poderá causar efeitos secundários. Como as células normais se reparam a si próprias rapidamente, os efeitos secundários são, geralmente, temporários.

A quimioterapia afecta as pessoas de diferentes maneiras. Algumas pessoas sentem poucos efeitos secundários, enquanto outras vêem as suas vidas afectadas de diversas formas. Ler o artigo completo (pdf)
 
Conteúdos cedidos pelo Breast Cancer Care

Um Guia para o Doente - European Society of Medical Oncology - em português  

E-book gratuito: Dicas para quem vive com cancro 

 
Voltar
 
 
Aviso: A informação contida neste site é necessariamente de carácter geral e não constitui nem dispensa uma consulta médica apropriada.