no figado

liverPor vezes, as células libertam-se do tumor primário e viajam até ao fígado através do sistema linfático ou do sistema circulatório. Esta situação é conhecida como cancro metastático da mama no fígado.

As células que se espalharam para o fígado são células do cancro da mama. Não é o mesmo que ter cancro que começa no fígado.

O fígado fica no lado direito do nosso abdómen superior, mesmo por baixo das costelas. É constituído por diferentes secções chamadas lobos e é rodeado por uma cápsula. O fígado produz a bílis, que ajuda a fazer a digestão. Também produz importantes proteínas que são necessárias para ajudar o sangue a coagular. O fígado é um órgão de grandes dimensões e pode continuar a funcionar, mesmo que parte dele seja afectado por cancro metastático da mama.

Sintomas (fígado)

Se desenvolveu cancro metastático da mama no fígado, poderá ter diferentes sintomas. É importante lembrar-se que quaisquer sintomas podem também ser sinal de outras doenças, por isso deve falar com a sua equipe médica sobre novos sintomas que possa ter.

 

“Gosto imenso do meu médico oncologista e sei que ele está incrivelmente ocupado. Não gosto de fazer queixinhas sobre os efeitos secundários, não vou morrer de náuseas. Mas a minha prima faz investigação e ela disse que eu devia dizer ao médico – assim é que eles sabem mais sobre os medicamentos e ele até pode receitar alguma coisa para me ajudar.”

Dor

O cancro metastático pode fazer com que o fígado aumente de tamanho, o que causa pressão ao esticar a cápsula que envolve o fígado. A dor pode ser suave ou forte e a experiência da dor de cada pessoa é diferente. Algumas pessoas poderão simplesmente sentir algum desconforto localizado, enquanto outras poderão sentir dores abaixo das costelas ou em todo o seu abdómen superior. Por vezes, a dor pode ser sentida no ombro direito. A isto chama-se dor referida e é causada pelo aumento de tamanho do fígado, que pressiona os nervos que se dirigem ao ombro. É importante que saiba que a dor pode ser quase sempre aliviada ou controlada.

Náuseas

Poderá sentir enjoos devido ao aumento do tamanho do fígado e consequente pressão no estômago, ou pela acumulação de toxinas devido aos danos do fígado. Isto poderá ser tratado com medicamentos para o enjoo.

Perda de apetite

Poderá achar mais fácil comer pouco e mais vezes ao dia do que tentar comer a quantidade normal numa refeição. Se necessário, o seu médico de família ou especialista poderão prescrever-lhe suplementos nutricionais e/ou encaminhá-la para um nutricionista para aconselhamento. Em alguns casos, poderá ser útil tomar medicamentos para estimular o apetite.

Soluços

Os soluços poderão ser resultado do fígado ter maior volume e pressionar o diafragma, provocando-lhe espasmos. Poderá achar útil sentar-se direita e beber pequenas quantidades de água frequentemente. Também há medicação que pode ajudar.

Ascite

A ascite é a acumulação de líquidos excessivos na cavidade peritoneal, que é o espaço dentro do abdómen protegido pelo peritoneu. Pode tornar o abdómen distendido e desconfortável, e, por vezes, dar a sensação de falta de ar. A ascite pode levar semanas ou meses a desenvolver-se.

Cansaço e fadiga

Poderá achar que se cansa mais facilmente. Isto poderá acontecer devido ao próprio cancro metastático, ao tratamento ou à falta de apetite. Diga ao seu médico como se sente, já que poderá ser possível tratar a causa da sua fadiga. Em alguns casos, medicamentos esteróides poderão ajudar a aumentar os seus níveis de energia. Tente ter um equilíbrio entre descanso e actividade física e, se tiver coisas que tem mesmo que fazer ou que gosta de fazer, tente fazê-las calmamente e esperar fazê-las num período de tempo mais longo.

Anemia

Poderá ficar com anemia (menor número de células sanguíneas) por várias razões, incluindo problemas com a coagulação do sangue. Poderá fazer análises ao sangue para descobrir se tem anemia e, em alguns casos, comprimidos de ferro ou uma transfusão de sangue poderão ajudar.

Icterícia

A icterícia pode surgir quando o ducto da bílis (um tubo que sai do fígado) fica bloqueado. Se desenvolver icterícia, a parte branca dos seus olhos e a sua pele ficam com um tom amarelado. Em alguns casos, a urina pode tornar-se mais escura e as suas fezes poderão ter um aspecto pálido. Poderão ter que inserir-lhe um stent (tubo) no ducto da bílis para drenar a bílis.

Comichão na pele

A icterícia pode causar comichão, que pode piorar à noite ou quando tem calor. É importante manter a sua pele hidratada. Tente usar um creme para a pele sem perfume. Por vezes, poderá ter que tomar algum medicamento, mas o seu médico poderá aconselhá-la melhor. Tente evitar bebidas alcoólicas, comidas picantes, calor (banhos quentes ou exposição directa ao sol), que poderão piorar a comichão.


Exames (fígado)

O seu médico especialista irá examiná-la e poderá sentir se o seu fígado está maior. Irá precisar, também, de um ou mais dos seguintes exames para poder confirmar um diagnóstico:

Análises ao sangue Quando as células do fígado estão danificadas, certas substâncias são libertadas e podem ser detectadas no sangue, fornecendo informações sobre o funcionamento do fígado.

Exame por ecografia Um exame por ecografia usa ondas de som (ultra sons) para construir imagens do fígado e verificar se há algum problema.

Tomografia axial computorizada (TAC) Uma TAC é um tipo de radiografia que cria uma imagem tridimensional do fígado. A fim de se detectar algum problema mais facilmente, poderá injectar-se uma tinta colorida numa das suas veias.

Ressonância Magnética de Imagem (RMI) Este exame usa ondas magnéticas em vez de raios-X para dar informações mais detalhadas sobre tecidos moles do que uma TAC.

CPRE (Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica) Em casos de icterícia e para verificar se o canal biliar está bloqueado, será inserido um tubo estreito e flexível pela sua boca e estômago até ao canal biliar. Insere-se, depois, uma tinta através do tubo e tira-se uma série de radiografias para verificar o movimento da tinta através do ducto.

Biopsia ao fígado Este exame consiste em remover uma pequena porção de tecido do fígado sob anestesia local e examiná-lo em laboratório.

Tratamentos específicos para o fígado:

Paracentese – com uma agulha ligada a um tubo e depois de ter anestesiado localmente a barriga, passa-se um tubo pela cavidade peritoneal através do abdómen inferior, e liga-se a uma bolsa de drenagem no exterior do corpo. Isto permite a drenagem lenta dos líquidos durante um período de tempo. A isto chama-se paracentese e este procedimento poderá ter de ser repetido mais vezes, já que os líquidos podem reacumular dentro da barriga.

Cirurgia – a cirurgia será uma opção somente se uma pequena parte do fígado tiver sido afectada. Transplantes de fígado não são uma opção para quem tenha cancro secundário da mama.

Ablação térmica – este tratamento está ainda em fase inicial de uso experimental e não está disponível para todos. Poderá ser útil somente se uma pequena área do fígado estiver afectada. A ablação térmica l consiste no uso do calor para destruir as células cancerosas. Usando uma ecografia para guiar a sua posição, são inseridas agulhas no tumor e aquecidas a aproximadamente 80o centígrados, o que causa a morte dessas células. 

Conteúdos cedidos pelo Breast Cancer Care

 
Voltar
 
 
Aviso: A informação contida neste site é necessariamente de carácter geral e não constitui nem dispensa uma consulta médica apropriada.