nos ossos

bonesPor vezes, as células podem libertar-se do tumor primário na mama e viajar até aos ossos de diferentes partes do corpo, através do sistema linfático ou do sistema circulatório.


As células que se espalharam para os ossos são células do cancro da mama. Não é o mesmo que ter cancro que começou nos ossos. Os ossos mais vulgarmente afectados são a coluna cervical, crânio, ossos da bacia ou ossos superiores dos braços e das pernas.


Sintomas (ossos)

Se tiver cancro metastático da mama nos ossos, poderá ter vários ou até mesmo nenhum sintoma. É importante lembrar-se que muitas pessoas se sentem bem e que os seus sintomas estão bem controlados. Quaisquer sintomas podem também ser sinais de outras doenças, por isso deve falar com a sua equipa médica sobre qualquer sintoma que tenha.

“Sei que tenho uma doença sem cura mas que há muitos tratamentos. Neste momento, estou estável. Estou a trabalhar porque preciso do dinheiro mas também porque assim tenho uma vida mais normal outra vez.”

Dor óssea

O cancro secundário da mama nos ossos pode causar dores na/próximo da área afectada, podendo ser suaves ou fortes. A experiência da dor de cada pessoa é diferente. Pode achar que a sua dor é persistente ou que piora à noite. Certos movimentos poderão afectá-la e pode sentir mais sensibilidade no local da dor. Se a sua dor não for gerida eficazmente, a sua mobilidade e qualidade de vida poderão vir a ser afectadas. É importante que saiba que a dor quase sempre pode ser aliviada ou controlada.

Enfraquecimento ósseo e/ou fractura

O cancro secundário da mama nos ossos pode significar que os ossos afectados ficam enfraquecidos, o que pode aumentar o risco de fractura em algumas circunstâncias. Se uma área das vértebras (ossos da coluna vertebral) se fractura ou colapsa, pode causar pressão na coluna vertebral, embora esta situação não seja comum. A isto chama-se compressão da coluna vertebral. Os sintomas associados com a compressão da coluna vertebral são um aumento das dores em redor das costas, sensibilidade nas costas que, por vezes, desce até a uma ou ambas as pernas, sensibilidade alterada ou fraqueza nas pernas e incontinência (perda de urina e/ou fezes).

A compressão da coluna vertebral pode ter que ser tratada como emergência. Se os sintomas surgirem muito rapidamente, a cirurgia deverá ser a primeira escolha para tratamento. Se os sintomas surgirem durante um período de tempo, a radioterapia poderá ser recomendada em primeiro lugar. Com qualquer um destes tratamentos, ser-lhe-ão administrados corticóides para ajudar a reduzir a inflamação.

Hipercalcemia

A hipercalcemia é cálcio em excesso no sangue. Os ossos são um tecido vivo, constituídos por cálcio e proteínas para os tornarem mais fortes. O cancro secundário da mama nos ossos pode alterar a estrutura óssea, de forma que o cálcio é libertado para a corrente sanguínea, o que poderá ser confirmado por análises ao sangue. Se os níveis do cálcio se tornarem muito altos, poderá ter sintomas tais como náuseas, vómitos, obstipação ou tonturas. Em casos mais graves, poderá sentir sede excessiva, fraqueza ou confusão.

Para aliviar os seus sintomas, poderá ser aconselhada a beber muita água mas, na maior parte dos casos deverá ir ao hospital ou clínica para receber líquidos por via intravenosa. Estes líquidos ajudam a eliminar o cálcio para fora do corpo. Poderão, também, administrar-lhe medicamentos conhecidos como bisfosfonatos.

Infiltração na medula óssea

Em casos raros, o cancro metastático da mama pode invadir a medula óssea. A medula óssea é a parte oca do osso onde as células sanguíneas são fabricadas. Isto pode fazer com que células sanguíneas imaturas (células num estágio prematuro de desenvolvimento) sejam libertadas para a corrente sanguínea. Os seus sintomas poderão ser cansaço ou falta de ar, e terá que fazer análises ao sangue e uma biopsia à medula óssea para se fazer o diagnóstico.

Exames e tratamentos (Ossos)

Os ossos contêm dois tipos de células, osteoclastos e osteoblastos, que ajudam na formação dos ossos. Os osteoclastos destroem e removem pequenas porções de osso velho e danificado e os osteosblastos ajudam à construção de osso novo. No cancro metastático, as células que se espalharam para o osso produzem químicos que perturbam este processo, o que resulta em mais osso destruído do que construído. Este processo pode levar a alguns dos sintomas do cancro secundário da mama nos ossos, embora as células cancerígenas possam encontrar-se ali por muitos anos sem causarem problemas ou sintomas.

Exames para o cancro metastático da mama nos ossos

• Cintilograma ou Cintigrafia óssea - é injectado material radioactivo no braço para uma visualização de todo o esqueleto. Um aumento da absorção da substância radioactiva significa problemas nos ossos, que poderão ser osteoporose, artrite ou cancro secundário da mama.
• Radiografia óssea – uma radiografia simples mostrando alterações nos ossos
• RMI – ondas magnéticas são usadas para dar uma imagem detalhada de uma área específica. Se for usada uma RMI, geralmente é após a realização da Cintigrafia óssea para localizar o sítio.

Tratamentos específicos para os ossos

Bisfosfonatos
Os bisfosfonatos funcionam reduzindo o número e a acção dos osteoclastos nos ossos, o que desacelera o processo da destruição do osso, enquanto permite que a produção de osso novo decorra normalmente. O osso perdido não pode ser recuperado mas os bisfosfonatos podem fortalecer o osso existente e reduzir os danos causados pelo cancro secundário da mama. Os bisfosfonatos podem ser administrados em comprimidos ou por via intravenosa. 

Radioterapia
O objectivo da radioterapia é de reduzir a dor e prevenir possíveis fracturas. Para o caso de cancro metastático da mama, poderá ser aplicada numa única dose ou em doses divididas em vários dias. Isto significa que os efeitos secundários provavelmente serão mínimos. Uma vez aplicada a uma área do corpo, a radioterapia não poderá ser aplicada no mesmo sítio novamente. 

Outros tratamentos
As terapias hormonais, a quimioterapia e as terapias dirigidas poderão também ser usadas no tratamento do cancro metastático da mama no osso. Mais informações sobre estes tratamentos poderão ser encontradas na secção de tratamento do cancro metastático da mama.

Cirurgia
Quando um osso se encontra enfraquecido, a radioterapia ou a cirurgia poderão ser usadas para tentar prevenir a sua fractura (quebra). Um cirurgião ortopedista poderá segurar o osso com uma placa ou um parafuso metálico, ou substituir uma articulação, por exemplo uma substituição total da anca. Se o osso já fracturou, então o cirurgião ortopedista irá tentar reparar a fractura, novamente usando um parafuso metálico ou uma substituição.

Conteúdos cedidos pelo Breast Cancer Care

 
Voltar
 
 
Aviso: A informação contida neste site é necessariamente de carácter geral e não constitui nem dispensa uma consulta médica apropriada.