Quem somos?

 

pixelproject womenNos últimos anos, vários estudos têm sido feitos para saber mais sobre as mulheres que estão a viver todos os dias com cancro da mama metastático (cancro da mama avançado). Aqui estão alguns dos resultados e dos comentários:

- Na Europa não sabemos quantas mulheres estão a viver com cancro da mama metastático porque registos oncológicos não contam recidivas.

- Cancro da mama avançado afecta não só a pessoa diagnosticado e os amigos e a família mas também tem um grande impacto social e económico.

- A esperança para o futuro é para novos tratamentos acompanhados por melhores cuidados clínicos, mais e melhor informação que é cada vez mais personalizado e mais medidas para melhorar a qualidade da vida das mulheres com cancro da mama metastático e as suas famílias e os seus amigos.

- O mais importante é que as mulheres com cancro da mama metastático não se sentem sozinhas e que sabem que juntas podem conseguir mais.  

- O que é normal para muitos na altura do diagnóstico inicial e se a doença esta a piorar: depressão; preocupação constante; dor que pode interferir com a vida quotidiana; ansiedade; uma sensação de ter perdido a sua identidade pessoal desde o diagnóstico. 

Mensagens de mulheres com cancro da mama metastático em todo o mundo:

$1·         Querem mais compreensão sobre o que estão a viver

$1·         Querem mais informação e apoio

$1·         Querem apoio que perdura

Segundo um estudo sobre mulheres com cancro da mama metastático na Europa:

 - 51% tem filhos em casa e a doença as obriga a dedicar menos tempo à família.

- 40% estão a trabalhar e cerca de metade foram obrigadas a fazer alterações ao trabalho por causa da doença

As mulheres com cancro da mama metastático vivem mudanças profundas nas suas vidas e elas e as suas famílias enfrentam desafios psicossociais que afectam significativamente a qualidade da vida:

“ às vezes sinto me escondida e esquecida”.

“Bem – agora estou muito positiva no dia-a-dia – é fácil quando não tenho dor – estou determinada a viver o mais tempo possível mas o meu médico diz que não há cura, por isso aceito que ou mais cedo ou mais tarde, e de certeza absoluta mais cedo do que quero, o cancro vai me apanhar. “

“Levou um tempo para eu aceitar a indefinição de um diagnóstico “metastático”. Mas quando percebi, aceitei a minha realidade e consegui começar a “viver no momento”. Isto é o desafio.”

“As pessoas afastam-se de mim quando descobrem que tenho a doença.”

Referencias:

European Quality of Life Survey (EQLS) 2011

Here and Now Consumer Poll of Awareness of Advanced Breast Cancer – Novartis

ABC Patient and Carer Survey – Novartis

Living with metastatic breast cancer: a global patient survey by Musa Mayer  

 

 
Voltar
 
 
Aviso: A informação contida neste site é necessariamente de carácter geral e não constitui nem dispensa uma consulta médica apropriada.